Orientação Profissional – conhecendo as profissões: Linguistas

Orientação Profissional – conhecendo as profissões: Linguistas

O que fazem:

Linguistas são profissionais responsáveis pelo estudo científico das línguas, sejam elas vivas ou mortas, como o latim e grego clássico. Mais de quatro mil grupos linguísticos e dialetos diferentes em todo o mundo, são seu objeto de trabalho: comparam as línguas entre si, estudam sua evolução e dedicam-se à compreensão dos fenômenos das linguagens. São várias as áreas da linguística exploradas pelos profissionais:

linguística histórica: estuda a origem e evolução da língua no tempo (etimologia);

linguística sincrônica: analisa as palavras pelo seu aspecto formal (análise morfológica);

linguística computacional ou engenharia da linguagem: pesquisas aplicadas ou teóricas que criam programas de computadores para a leitura de documentos e geração automática de textos, para reproduzir alguns movimentos e comportamentos humanos etc.;

atividade linguística em situação de trabalho: pesquisa o uso da língua em reuniões de trabalho, no atendimento no balcão, no telefone, nas apresentações orais, na comunicação interna das empresas, na produção de textos científicos;

linguística indígena: descreve e documenta línguas indígenas, determinando suas propriedades estruturais; cria alfabeto que possibilite a escrita; desenvolve métodos de ensino e prepara os professores, recrutados nas tribos.

Características Pessoais:

Facilidade de expressão;
Gosto pela pesquisa e pelos estudos;
Habilidade para trabalhar em equipe;
Interesse pela leitura;
Interesse por computadores;
Interesse por formas variadas de comunicação;
Interesse por línguas.
Para a linguística computacional:
Interesse pela informática.
Para a linguística indígena:
Capacidade de lidar com situações adversas;
Espírito aventureiro;
Iniciativa.

Profissionais dedicados ao estudo científico das línguas, os linguistas podem estar tanto na fronteira do conhecimento, trabalhando com tecnologia de ponta no desenvolvimento de linguagens artificiais que permitam a comunicação entre homens e máquinas, quanto lidando com o primitivo, criando alfabetos para uma das mais de cento e setenta línguas indígenas existentes no Brasil.

Fonte: Guia de profissões.