Fobia Social: evitando pessoas

Fobia Social: evitando pessoas

Charles H. Elliott e Laura L. Smith

Aqueles com fobia social têm medo da exposição ao julgamento público. Eles frequentemente temem atuar, falar, ir a festas, conhecer pessoas novas, participar de grupos, usar o telefone, preencher um cheque na frente dos outros, comer em público e/ou interagir com pessoas em posição de autoridade. Eles acham que essas situações são dolorosas porque esperam receber críticas humilhantes ou vergonhosas dos outros. Fóbicos sociais acreditam que são de alguma forma defeituosos e inadequados, bem como têm certeza de que vão estragar suas falas, derramar suas bebidas, apertar as mãos com as palmas suadas ou cometer muitas gafes e, portanto, setem vergonha de si mesmos. Eles também se preocupam com o que os outros pensam a seu respeito – tanto que não escutam bem o suficiente para manter uma conversação.

Todo mundo se sente desconfortável ou nervoso de vez em quando, especialmente em situações novas. Por exemplo, se você tem sentido medos sociais menos de seis meses, isso pode não ser fobia social. Um medo de socialização de curto prazo pode ser uma reação temporária a um novo estresse, tal como a mudança para um novo bairro ou o início de um novo emprego. No entanto, você pode ter fobia social se detectar os seguintes sintomas por um período prolongado:

Você teme situações com pessoas desconhecidas ou em que pode ser observado ou avaliado de alguma forma.

Quando forçado a uma situação social desconfortável, sua ansiedade aumenta de forma poderosa. Por exemplo, se você tem medo de falar em público, sua voz estremece e os joelhos tremem no momento que você começa seu discurso.

Você percebe que seu medo é maior do que a situação realmente demanda. Por exemplo, se você tem medo de conhecer pessoas novas, é claro que sabe que nada de horrível vai acontecer, mas ondas de adrenalina e de terrível expectativa correrão por suas veias.

Você evita situações assustadoras tanto quanto pode ou apenas tolera com muita angústia.

Confira a seguir um ótimo exemplo de um fóbico social e veja se alguma coisa lhe parece familiar.

Xavier, um solteiro de 35 anos de idade, quer um relacionamento sério. As mulheres consideram-no atraente e ele tem um emprego bem remunerado. Os amigos de Xavier o convidam para festas e outros eventos sociais em um esforço para ajudá-lo com as mulheres. Infelizmente, ele detesta a ideia de ir aos eventos. Xavier evoca uma série de boas desculpas para desistir do compromisso. No entanto, seu desejo de conhecer potenciais namoradas acaba ganhando. Sempre que imagina cenas de encontros com mulheres, ele sente uma expectativa intensa e ansiosa.

Quando Xavier chega à festa, ele vai para o bar para calmar sua ansiedade crescente. Suas mãos tremem enquanto ele pega seu primeiro drinque. Rapidamente tomando a bebida, ele pede outra na esperança de entorpecer suas emoções. Depois de uma hora bebendo sem parar, ele se sente muito mais corajoso. Interrompe um grupo de mulheres atraentes e despeja uma série de piadas que havia decorado para a ocasião. Então ele se aproxima de várias mulheres ao longo da noite, às vezes fazendo comentários galanteadores e sugestivos. Seu comportamento bêbado e tolo faz com que ele não consiga nenhum encontro. No dia seguinte, ele está constrangido e envergonhado.

Xavier tem fobia social. O abuso de drogas e álcool geralmente acompanha a fobia social porque as pessoas com esse transtorno se sentem desesperadas para aliviar seus sentimentos ansiosos. As drogas e o álcool oferecem uma solução rápida. Infelizmente, essa solução muitas vezes se transforma em um vício.

Nota: Atualmente usa-se o termo Ansiedade Social ao invés de Fobia Social.